SEARA DA CIÊNCIA

TIPOS SANGUÍNEOS
Prof. Marcus Vale - Seara da Ciência - UFC.


Tabelas de tipos sanguíneos.

Os genótipos dos descendentes de pais com diferentes genótipos são apresentados nas tabelas abaixo, tanto para o sistema ABO quanto para o Rh. Atente para o fato de que o fenótipo do filho ou filha é sempre dado pelo fator dominante. No sistema ABO os dominantes são A e B. Por exemplo, uma pessoa com genótipo IAi é do tipo A. Para ser do tipo O a pessoa deve ter genótipo ii. Dá para ver, pela tabela, que esse fenótipo é raro. No Rh, o dominante é Rh+. Para ter Rh negativo a pessoa deve ter genótipo rhrh (isto é, - -), o que também não é comum. As tabelas apresentam as diversas combinações possíveis herdadas pelos filhos (em amarelo).

Na Tabela 2, Rh significa Rh+ e rh significa Rh-.

Para ilustrar o uso dessas tabelas, vamos responder a uma das perguntas do início:

Meus pais têm o tipo sanguíneo A+ e A-; tem como eu ser O-?

Primeiro, vejamos se um filho de pais A pode ser O. Para isso, usamos a Tabela 1.

Como os pais são do tipo A, seus genótipos podem ser IAIA ou IAi.
Se ambos forem IAIA, o filho só pode ser IAIA, isto é, será necessariamente do tipo A. Se um dos pais for IAIA e o outro for IAi, o filho novamente será A, pois seus genótipos poderão ser IAIA ou IAi e o A é dominante sobre o i. Mas, se ambos forem do tipo IAi, há uma chance do filho ser O (genótipo ii), como vemos no encontro da linha 4 com a coluna 4.

Portanto, o filho pode ser do tipo O, embora a probabilidade maior seja A.

Para ver se o filho pode ser O- usamos a Tabela 2.

Digamos que o pai seja (+) e a mãe seja (-). Usamos, portanto, as colunas 1 ou 2 (RhRh e Rhrh) e a linha 3 (rhrh). Como vemos, há uma chance (1/8) do filho ser (-) (rhrh).

Logo, a resposta é: pais A+ e A- podem ter filho O-.